​89 mil mulheres e meninas foram vítimas de homicídio em 2022

PorExpresso das Ilhas, ONU News,26 nov 2023 9:49

Pelo menos 89 mil mulheres e meninas foram intencionalmente assassinadas em 2022 em todo o mundo. Os dados constam de uma nova pesquisa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, e ONU Mulheres.

O levantamento, lançado este sábado, Dia Internacional para Eliminação da Violência contra as Mulheres, alerta que o número representa o maior registo anual dos últimos 20 anos.

A informação disponível sobre o último ano sugere que o aumento nos homicídios de mulheres ocorreu apesar de uma diminuição no número total do crime.

Na sua mensagem alusiva a data, o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirma que a violência contra as mulheres é uma terrível violação dos direitos humanos, uma crise de saúde pública e um grande obstáculo para o desenvolvimento sustentável.

O líder da ONU alerta que o problema é “persistente, disseminado e está a piorar”. Para o chefe da ONU, a violência de género está “enraizada na injustiça estrutural, solidificada por milênios de patriarcado”.

O estudo do Unodc e ONU Mulheres revela que 45% dos casos de homicídios de mulheres são cometidos por familiares ou parceiros íntimos, destacando a realidade perturbadora de que o lar está longe de ser um local seguro para mulheres e meninas.

Em média, mais de 133 mulheres ou meninas foram mortas todos os dias por alguém em sua própria casa. Em contraste, 12% dos homicídios de homens são cometidos em casa.

Segundo as agências da ONU, a verdadeira dimensão do feminicídio pode ser muito maior, pois informações sobre motivações relacionadas ao gênero são insuficientes em aproximadamente quatro em cada 10 homicídios de mulheres.

A diretora executiva do Unodc, Ghada Waly, avalia que o número alarmante de feminicídios é um lembrete de que a humanidade ainda está a lidar com desigualdades profundamente enraizadas e violência contra mulheres e meninas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, ONU News,26 nov 2023 9:49

Editado porFretson Rocha  em  27 fev 2024 23:29

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.